Prêmio italiano de arquitetura abre inscrições em 9 de abril

A Fundação Barbara Cappochin e a Ordem dos Arquitetos, Urbanistas, Paisagistas e Conservadores da cidade de Pádua, na Itália, anunciaram a realização da sexta edição do prêmio Barbara Cappochin para arquitetura.

A competição reconhece projetos que melhor contemplem elementos como qualidade ambiental, dimensão humana e uso apropriado de materiais e estruturas, além de detalhes da construção, combinações estéticas, funcionalidade e sustentabilidade.

Interessados em participar do concurso podem inscrever projetos residenciais, comerciais, de uso misto, lugares públicos e paisagismo, concluídos entre o dia 1º de julho de 2010 e 30 de junho de 2013.

As inscrições ficam abertas de 9 de abril a 30 de junho e podem ser realizadas no site da fundação. Além de preencher o formulário com informações sobre categoria do trabalho, conclusão e envio do relatório técnico e conceitual, a equipe precisa postar três pranchas, contendo plantas, diagramas e fotos do projeto.

Os trabalhos serão avaliados por uma equipe de jurados formada pelo arquiteto Leopoldo Freyre, presidente do Conselho Nacional de Arquitetos, Urbanistas, Paisagistas e Conservadores; Alberto Cecchetto, arquiteto italiano; Abe Ryo, arquiteto japonês; Nikos Fintikakis, arquiteto grego; Francisco Mangado, arquiteto espanhol; Nicola Leonardi, diretor do plano diretor da Itália; e pela arquiteta norte-americana Victoria Mayers, membro da União Internacional de Arquitetos (UIA).

O vencedor da categoria de projetos internacionais receberá prêmio no valor de 30 mil euros (aproximadamente 78 mil reais), e na de projetos provinciais de 5 mil euros (cerca de 13 mil reais).

A primeira categoria vai contar com três menções honrosas, enquanto a segunda com duas. Além disso, a premiação vai contemplar o melhor projeto em inovação em economia de energia e tecnologia renovável com a medalha de Ouro Giancarlo Ius.

Os resultados serão publicados em setembro e a cerimônia de premiação deve acontecer em outubro.

 

_____________

Asbea.org.br

Anúncios

DEPARTAMENTO NACIONAL DE EMPRESAS PROJETISTAS PARTICIPA DA ATUALIZAÇÃO DO MANUAL DE ESCOPO DE PROJETOS

Abrava foi uma das 11 associações parceiras no projeto

 

O Departamento Nacional de Empresas Projetistas (DNPC) da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento participou da atualização do capítulo “Ar Condicionado e Ventilação “Manual de Escopo para contratação de projetos e serviços para a indústria imobiliária”, lançado no mês passado. Ao todo são 14 exemplares que foram revisado no biênio de 2011-2012, observando conceitos de sustentabilidade, normas de edificações habitacionais – desempenho (ABNT NBR 15.575), que entrou em vigor recentemente e tecnologia BIM (Building Information Modeling). O novo site,www.manuaisdeescopo.com.br, foi reformulado, apresenta novas funcionalidades e permite acesso aos conteúdos de documentos.

 

Segundo o presidente do DNPC, o engenheiro Fábio Pires Takacs, “é de vital importância nossa participação no desenvolvimento dos manuais de escopo, representamos desde o inicio deste projeto a Abrava e o setor de projeto e consultoria, junto aos principais players da indústria imobiliária. Nossa presença demonstra que somos referência e valida nossa representatividade no setor HVAC”.

 

Para o engenheiro Carlos Kayano, representante do DNPC na revisão do manual de Ar Condicionado e Ventilação “O manual é um formidável instrumento de orientação para as atividades de projeto, harmonizando o relacionamento de todos os participantes envolvidos no desenvolvimento de um empreendimento imobiliário. Traz clareza nas relações contratuais, define o conteúdo mínimo dos documentos e serviços a serem elaborados, organiza a sequencia dos procedimentos em cada etapa e define o fluxo de informações entre os envolvidos em cada atividade de projeto.”

 

Com a reformulação do portal, o usuário consegue fazer consultas em online – sem a necessidade de baixar o documento –, compor checklists e compartilhar conteúdo nas redes sociais, além de ter à disposição uma ferramenta web que lhe permite visualizar serviços e fases, os quais podem ser selecionados para montar uma proposta técnica no próprio ambiente do portal. “O site está mais dinâmico, moderno e o relacionamento com os usuários será mais intensivo, com o envio de informações, avisos de atualização e eventos relacionados com o mercado”, disse José Pires Alvim Neto, diretor da Ação Sistemas, empresa proprietária do Sistema Navis, software de gestão especializado em escritório de projetos.

 

A iniciativa contempla os escopos de acústica, estrutura, instalações elétrica, instalações hidráulicas, arquitetura e urbanismo, impermeabilização, revestimentos, vedações, ventilação e ar-condicionado, coordenação de projetos, paisagismo, automação e segurança, arquitetura de infraestrutura esportiva e luminotécnica – todos com seu manual específico. A expectativa das entidades que participaram do desenvolvimento do projeto é que, com o novo site, o uso dos documentos seja potencializado.

 

“Esse remodelamento foi necessário para que pudéssemos prosseguir com os avanços no setor”, disse Ricardo Bunemer, diretor da vice-presidência de Tecnologia e Qualidade do Sindicato.

O site também conta com uma área de notícias do setor, atualizada em colaboração com as associações participantes.

 

Outra novidade é que os interessados podem adquirir o manual impresso ao custo de R$ 90,00 (noventa reais), independente da disciplina, ou R$ 50,00 (cinquenta reais) em formato eletrônico PDF fechado. As solicitações devem ser feitas através do email, manuaisdeescopo@secovi.com.br.

 

A criação dos manuais

Iniciado há doze anos, o trabalho dos Manuais de Escopo, que é fruto de parceria entre Secovi-SP e 11 associações (PróAcústica, Abece, AsBea, Asbai, Abrasip, Abrava, Agesc, ANP, Abap, Abriesp e IBI) conta ainda com apoio do SindusCon-SP e do Sindinstalação, visa estimular o relacionamento de parceria entre as empresas contratadas e contratantes assim como a melhoria contínua no desenvolvimento dos projetos, cumprindo todas as etapas necessárias ao atendimento de elevados padrões de qualidade, sempre alinhados às novas práticas do mercado e à atualização da normalização que regem o setor.

 

“O sucesso de um empreendimento e a sua realização com recursos otimizados, e consequentemente custos menores, começa pelo projeto. Os profissionais que participaram dessa iniciativa foram os melhores do mercado. São verdadeiras referências nos setores em que atuam”, enfatiza Marcos Velletri, diretor de Insumos e Tecnologia do Sindicato.  “Os Manuais de Escopo são o ferramental necessário para a elaboração de um bom projeto.”

 

 

Fonte: MCO Comunicação Empresarial

Austrália aprova construção do edifício mais alto do Hemisfério Sul

australia_hotelmaisalto_afp_619

A construção do arranha-céu deve levar quatro anos e meio.

O governo do Estado de Victoria na Austrália aprovou o projeto para a construção do edifício mais alto do Hemisfério Sul na cidade de Melbourne, informou nesta segunda-feira a imprensa local.

  O arranha-céu, que receberá um hotel exclusivo de 300 quartos e luxuosos apartamentos residenciais, terá 338 metros de altura e 108 andares, segundo a emissora australiana ABC.

O edifício denominado “Australia 108” é inspirado na bandeira australiana, explicou seu criador, Nonda Katsalidis, do estúdio Fender Katsalidis Architects.

  “O hotel, em sua parte mais alta, foi concebido como uma explosão de cores, nos inspiramos nas estrelas (o Cruzeiro do Sul) da bandeira australiana”, disse o arquiteto australiano à ABC. A construção do arranha-céu deve levar quatro anos e meio.

   A Prefeitura da Cidade de Melbourne era contra o projeto, pois temia que o edifício projetasse muita sombra sobre o Templo da Memória, mas o ministro do Planejamento de Victoria, Matthew Guy, garantiu que os administradores do monumento apoiam o projeto.

__________________________________

Fonte: http://economia.terra.com.br

41ª Assembleia: a arquitetura e as indústrias criativas

Os estudos a respeito da chamada indústria criativa, toda a gama de atividades que engloba setores ligados às artes e similares, entre elas a arquitetura e o urbanismo, do ponto de vista econômico são recentes em todo o mundo – e mais ainda no Brasil. Eles só se intensificaram em tempos mais recentes. Este tema será debatido na 41ª Assembleia da AsBEA, em maio.

Os dados disponíveis, embora confiáveis, ainda estão subestimados segundo muitos especialistas devido às peculiaridades dessas atividades e das dificuldades de defini-las claramente ainda.

Uma das pesquisas mais recentes, elaborado pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, com números de 2011, os mais recentes disponíveis, apontou que a indústria criativa movimenta R$ 110 bilhões no Brasil, o total de 2,7% do PIB nacional.

Para se ter uma ideia da posição brasileira, o PIB “criativo” dos Estados Unidos é de R$ 1 trilhão (3,3% do PIB), o do Reino Unido de 286 bilhões (5,8%), da França R$ 191 bi (3,4%) e da Alemanha R$ 181 bi (2,5%).

Estes os que estão à frente do Brasil, em números absolutos. O país está acima, entre outros, da Itália de R$ 102 bilhões (2,3% do PIB), da Espanha de R$ 70 bi (2,3%), da Holanda de R$ 46 bi (2,7%) e da Noruega de R$ 32 bi (3,2%). A liderança, em números percentuais do Reino Unido explica-se: é lá que esses estudos estão mais sistematizados.

Em que pesem as explicáveis falhas defasagens estatísticas, é visível que o potencial desse mercado não está sendo bem explorado pelos brasileiros. Segundo uma pesquisa da Conferência das Nações Unidas sobre Comercio e Desenvolvimento (Unctad), citado em uma reportagem do jornal “Brasil Econômico”, o Brasil ainda não está entre os 20 maiores exportadores mundiais da cadeia criativa.

Esta área na Unctad, por coincidência é de responsabilidade de uma brasileira: Edna dos Santos-Duisenberg.

Um outro estudo, elaborado em conjunto pelo Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) e pelo Instituto Iniciativa Cultural, em parceria com o Ministério da Cultura, com o objetivo da mapear a cadeia produtiva da indústria da moda no Brasil, revelou também as dimensões do setor de arquitetura no país.

Com dados da RAIS de 2006 (Ministério do Trabalho), elaborados pela Firjan, a arquitetura aparece como a primeira na área criativa em número de trabalhadores, em números de estabelecimentos e em renda de trabalho. É um dos setores chave dessa “nova” economia.

(Mais sobre a pesquisa: http://www.cultura.gov.br/economiacriativa/pesquisa-economia-e-cultura-da-moda-no-brasil).

Os números só vêm ressaltar a importância do projeto da internacionalização da economia brasileira – Built By Brasil – desenvolvido pela AsBEA e pela Apex-Brasil.

Uma das palestras com convidados externos na 41ª Assembleia da AsBEA, em Foz do Iguaçu, será sobre este tema, com a professora Alessandra Meleiro, da Universidade Federal Fluminense e responsável pelo Instituto Iniciativa Cultural.

Acompanhe em nossas newsletters e no site da entidade mais noticias sobre a Assembleia deste ano.

41ª Assembleia AsBEA e 1º ARC Invest 
Data: 08/05/2013 à 12/05/2013
Local: Mabu Thermas Resort – Foz do Iguaçu – Paraná 
Inscrições em breve. Vagas limitadas

Evento exclusivo para associados AsBEA

 

______________________________

Fonte: asbea.org.br

 

Arquitetos usam troncos de árvores como estrutura de residência no Japão

Na reforma desta residência, os arquitetos do estúdio japonês Hironaka Ogawa & Associates encontraram uma forma pouco usual de garantir a ampliação da área construída e a preservação da vegetação do jardim.

A morada original foi construída há 35 anos, e havia duas árvores centenárias no quintal que estavam sem vida, mas com vigor. Diante da beleza das espécies – e da memória afetiva que a proprietária mantem por elas – os arquitetos decidiram incorporá-las ao projeto.

“Cortamos as duas árvores com os galhos intactos. Reduzimos, então, a água com técnicas de defumação e secagem que levaram mais de duas semanas”, explica Ogawa.

As árvores, então, foram posicionadas como colunas estruturais no centro da nova sala de estar, próximas à sala de jantar e à cozinha. “Criamos um desnível de 70 centímetros do novo volume com relação à edificação original. Dessa forma, foi possível preservar a beleza dos troncos”, conclui o arquiteto.

casa-troncos-japao-2

casa-troncos-japao-3

casa-troncos-japao-4

casa-troncos-japao-5

casa-troncos-japao-6 casa-troncos-japao-7 (1)

casa-troncos-japao-7

Os profissionais do interior do estado que ainda não realizaram coleta de dados, têm mais uma oportunidade nos meses de Março e Abril

O CAU/SP estará presente em 13 cidades do interior, no período de 25 de março a 25 de abril, com o objetivo de coletar dados biométricos para emissão de carteira profissional dos arquitetos.

Bauru, Franca, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Mogi das Cruzes, Santo André, Sorocaba, São José dos Campos, Campinas, São Carlos, Marília e Santos são as cidades onde o CAU/SP estará com uma equipe volante.

Aproveite esta oportunidade e compareça na data e posto da sua conveniência para a coleta de dados. Não é necessário agendamento.

Para realização da coleta são necessários os seguintes procedimentos:

  • Realizar a primeira fase do cadastro via SICCAU
  • Levar declaração de veracidade preenchida e assinada
  • Levar cópia autenticada do diploma (para formados a partir de 2010, que tinham registro provisório no Conselho anterior ou que fizeram alteração na atualização cadastral)
  • Cópias simples e originais dos documentos referentes aos dados que tenham sido alterados no cadastro do SICCAU

Clique aqui e veja a relação de cidades-sede

_________________________

Fonte: Causp.org.br

Coleta de Dados Biométricos – EXPO REVESTIR

O CAU/SP realizará coleta de dados biométricos para emissão de carteiras profissionais de arquitetos e urbanistas na EXPO REVESTIR, que acontecerá no Transamérica Expo Center (TEC), localizado na Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo – SP, no período de 05 a 08 de março de 2013. A coleta de dados biométricos será realizada durante todo o período da EXPO, das 10h às 19h, no balcão do CAU/SP.

Para realização da coleta são necessários os seguintes procedimentos:

  • Realizar a primeira fase do cadastro via SICCAU;
  • Levar declaração de veracidade preenchida e assinada;
  • Levar cópia autenticada do diploma (para formados a partir de 2010, que tinham registro provisório no Conselho anterior ou que fizeram alteração na atualização cadastral);
  • Cópias simples e originais dos documentos referentes aos dados que tenham sido alterados no cadastro do SICCAU.

_________________________

Fonte: Cau.org.br