CAU lança concurso para preenchimento de vagas em 19 estados e no DF.

CAU_BR-51461

 O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) divulgou edital com 2.570 vagas de níveis médio e  superior, sendo 190 imediatas e 2.380 para cadastro reserva.

 As oportunidades são para os seguintes cargos: advogado, agente de fiscalização, agente de fiscalização –  arquiteto e urbanista, agente fiscal, analista arquiteto, analista de comunicação, analista de planejamento e  gestão estratégica, analista de documentação e protocolo, analista de processos, analista de eventos e  passagens, analista de gestão de pessoas, analista de compras, contratos, convênios e licitações, analista de  controladoria, analista financeiro-contábil, analista de finanças, analista fiscal, analista jurídico, analista de  orçamento, analista de relações legislativas, analista de geotecnologia, analista de sistemas, analista de  infraestrutura de tecnologia da informação, analista de informática, analista técnico, analista de ouvidoria, analista de relações institucionais, analista técnico, analista técnico de órgãos colegiados, assessor jurídico, assistente administrativo, assistente técnico-administrativo, assistente técnico, assistente de atendimento, assistente de registro e atendimento, assistente de informática, assistente de contabilidade, assistente de orçamento e finanças, assistente técnico-contábil, coordenador técnico, contador, tesoureiro, técnico em informática, analista de fiscalização, auxiliar administrativo, auxiliar de serviços gerais, gerente técnico, gerente administrativo, gerente administrativo e financeiro, assistente de tecnologia da informação, secretário, secretário executivo, secretário geral e ouvidor.

Os postos envolvem os Estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Macapá, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal.

Salários variam de R$ 678 a R$ 7.286,61.

As inscrições podem ser feitas de 27 de setembro a 27 de outubro pelo endereço eletrônicohttp://www.iades.com.br . As provas acontecerão dia 24 de novembro de 2013.

 

 

Anúncios

Workshop a Nova NR 20 e Curso NR 26 Rotulagem e FISPQ de Produtos Químicos Segundo o GHS – Curitiba – PR

Workshop a Nova NR 20

 

20 de Setembro de 2013
Objetivos: 
Informar acerca do processo de revisão e explanar tópicos fundamentais do texto da Norma Regulamentadora (NR) 20 – Portaria 308/2012;
Detalhar aspectos de Classificação da instalação, Prontuário, Projeto da instalação, Análise de Riscos, Plano de Resposta à Emergências;
Explanar sobre a Capacitação dos Trabalhadores;
Apresentar cases de implementação da NR 20;
Debater aspectos específicos relacionados ao Comércio Varejista e Atacadista de Envazados (lacrados de fabricação).
Programa:
Manhã – 9h às 12h
O processo de revisão da NR 20;
O GHS/NR 26 e a NR 20: Classificação de inflamáveis e combustíveis;
Classificação das Instalações: exemplos;
Prontuário da Instalação;
Projeto da Instalação.
Tarde – 13h às 17h
Análise de Riscos da instalação;
Capacitação dos Trabalhadores;
Plano de Resposta a Emergências;
Comércio Varejista e Atacadista de Envazados;
Cases de implementação;
Prazos para cumprimento da NR 20.

Curso NR 26 – Rotulagem e FISPQ de Produtos Químicos Segundo o GHS
21 de Setembro de 2013

Objetivos:

Fornecer informações para elaboração e análise crítica de Rótulos e Fichas com Dados de Segurança de Produtos Químicos, em conformidade com o Livro Púrpura (Purple Book), do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS) – Organização das Nações Unidas -com a Norma Regulamentadora 26 (Portaria n.º 229, de 24 de maio de 2011) e a ABNT NBR 14.725.

Justificativa:

A publicação da Portaria n.º 229 pelo Ministério do Trabalho e Emprego, que alterou a Norma Regulamentadora 26, impacta na obrigação da elaboração de Rótulos e Fichas de Segurança de Produtos Químicos, que agora devem seguir os aspectos previstos no Livro Púrpura – GHS e na ABNT NBR 14.725.
A elaboração das Fichas com Dados de Segurança de Produtos Químicos (FDS/FISPQ) deve observar o formato e conteúdo estabelecido no Livro Púrpura e a ABNT NBR 14.725 – parte 4 e os Rótulos devem seguir o previsto na NBR 14.725 – parte 3.
O conhecimento de banco de dados e referências internacionais sobre elaboração de Fichas, como por exemplo, Guia de orientação sobre a elaboração de fichas de dados de segurança (dezembro 2011), da União Europeia, são fundamentais para qualidade das informações contidas na Ficha.

Programa:

 GHS – Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos, da Organização das Nações Unidas: histórico, aplicação e o Livro Púrpura; 
Norma Regulamentadora 26 – Classificação, Rotulagem Preventiva e Fichas com Dados de Segurança de Produtos Químicos;
Elaboração de Rótulos e de Fichas com Dados de Segurança de Produtos Químicos (FDS/FISPQ) em conformidade com as NBR 14.725 – parte 3 (Rótulos) e a NBR 14.725 – parte 4  (FISPQ);
Listas internacionais harmonizadas para classificação de substâncias e bancos de dados/guias com informações para auxílio na elaboração de Fichas e Rótulos;
Tópicos sobre classificação de misturas;
Cases de implementação da NR 26 e capacitação dos trabalhadores.

Público Alvo:
Profissionais das áreas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho; Elaboradores de rótulos e fichas com dados de segurança de produtos químicos; Classificadores de Produtos Químicos, Toxicologia; Laboratórios, Meio Ambiente; Transporte, Logística, Gestão e Comércio de produtos químicos. Importante para instrutores dos cursos de capacitação das normas regulamentadoras 20 e 26.
Instrutor:
Roque Puiatti
Engenheiro de Segurança do Trabalho, Mestre em Segurança de Processos e Prevenção de Perdas (The University of Sheffield – Inglaterra), Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE/RS, coordenador do Grupo de Trabalho Tripartite (GTT) de revisão da NR 20, coordenador do Grupo de Estudos Tripartite da Convenção 174 da OIT – Prevenção de Acidentes Industriais Ampliados (2000-2011) e Vice-Presidente do Subcomitê de Especialistas das Nações Unidas sobre o Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos/GHS (2001-2008).
Informações Gerais:
DATA E HORÁRIO:
Dia 20/09/2013 – 09:00hs às 17:00hs – Workshop  A Nova NR 20
Dia 21/09/2013 – 09:00hs às 17:00hs – Curso NR 26
CARGA HORÁRIA: 16 horas/aula.
LOCAL DE REALIZAÇÃO: Rua Emiliano Perneta, 174 – 11º andar -Prédio de Instituto de Engenharia do Paraná – Centro Curitiba/PR.
INVESTIMENTO: 
Opções de participação:
Workshop: A Nova NR 20  – Pagamento até 18/09/2013 – R$ 460,00
Curso NR 26 – Rotulagem e FISPQ de Produtos Químicos Segundo o GHS – Pagamento até 18/09/2013 – R$ 460,00
NR 20 + NR26 – Pagamento até 18/09/2013 – R$ 800,00
Pagamentos após a data de realização: R$ 920,00.
INCLUI: Apostila, DVD com apresentações, certificado e coffee break.
TRANSPORTE, ALIMENTAÇÃO E HOSPEDAGEM: Correrão por conta dos participantes.
INSCRIÇÕES: Preencha a ficha de inscrição abaixo com todas as informações solicitadas e encaminhe a NN Eventos.
FORMA DE PAGAMENTO: As inscrições serão pagas através do sistema de compensação (boleto bancário) encaminhado pela NN-Treinamentos Ltda., pagável em qualquer banco. Favor, ao preencher a ficha de inscrição, informe a quem deverá ser encaminhado esse documento e nota fiscal.
CANCELAMENTOS: Cancelamentos de inscrição serão aceitos somente com 48 horas de antecedência à data de início do curso.
Após este prazo, o  não comparecimento sem aviso acarretará em cobrança no valor integral da inscrição.
Obs.: A organizadora se reserva o direito de cancelar o evento se não obtiver o número mínimo de inscritos.

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES
NN-Eventos-Segurança em Treinamentos

II WORKSHOP AsBEA: NORMA DE DESEMPENHO – NBR 15.575- 24/09

 

                    Saiba mais sobre a Norma de Desempenho para não correr riscos

Você sabia que:

 1. As novas regras valem para todos os espaços da construção, inclusive garagens, e não apenas para as áreas internas?

2. Nenhum agente financeiro pode financiar a obra fora dos padrões estabelecidos?

3. Toda a cadeia da construção é alcançada pelas novas regras?

4. O arquiteto deverá definir agora a Vida Útil do Projeto?

Uma análise profunda de todos os detalhes da ABNT 15575, em vigor desde 19 de julho, é o programa do workshop que a AsBEA está organizando no dia 24 de setembro, com as arquitetas Miriam Addor e Barbara Kelch.

 

VAGAS LIMITADAS

INSCREVA-SE

 

Você pode fazer o download do arquivo pelo site: http://www.asbea.org.br/escritorios-arquitetura/noticias/ii-workshop-asbea-norma-de-desempenho-nbr-15575-296335-1.asp

CAU/BR prepara resolução sobre direitos autorais na Arquitetura e Urbanismo.

Comissão de Exercício Profissional lança convite para participar do debate em torno do tema

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) deu início à elaboração de uma resolução que vai disciplinar a questão dos direitos autorais na Arquitetura e Urbanismo. A garantia ao autor sobre a “paternidade” da obra de criação, a alienação do direito autoral patrimonial, a repetição de uso de projeto ou serviço técnico e o plágio estão entre os temas principais a serem tratados nesta resolução.

Com este normativo, o CAU/BR cumprirá mais uma etapa na regulamentação da Lei nº 12.378, de 31 de dezembro de 2010. Esta Lei, em seu art. 15, estabelece que a execução de projeto ou qualquer trabalho técnico de criação de autoria de arquiteto e urbanista deve ser feita de acordo com as especificações do trabalho, salvo autorização em contrário do autor. Determina ainda, em seu art. 16, que alteração em trabalho de autoria de arquiteto e urbanista, tanto em projeto como em obra dele resultante, somente poderá ser feita mediante consentimento da pessoa natural titular dos direitos autorais, salvo acordo em contrário.

Segundo Antonio Francisco de Oliveira, coordenador da Comissão de Exercício Profissional, é fundamental que essa resolução seja elaborada contando com a máxima participação da categoria profissional, o que lhe dará muito maior legitimidade.

O CAU/BR convida as entidades profissionais e a todos os arquitetos e urbanistas, que possam e desejem contribuir para enriquecer o debate em torno deste tão importante tema, a enviar sugestões, comentários, críticas etc., ao email cep@caubr.gov.br.

A previsão é que a elaboração dessa resolução estará concluída até o final de outubro e sua aprovação pelo Plenário do CAU/BR está prevista para ocorrer na primeira semana de novembro de 2013.

Concurso de pesquisas acadêmicas oferece R$ 10 mil em prêmios

Objetivo é estimular a produção de conhecimento sobre a utilização de chuveiros automáticos contra incêndios no Brasil.

 

O Instituto Sprinkler Brasil (ISB), organização sem fins lucrativos, promove o 1º Prêmio Instituto Sprinkler Brasil de Trabalhos Técnicos. O prazo de inscrições de envios de trabalhos é de 01 de setembro a 30 de novembro de 2013. Podem concorrer monografias, teses, dissertações e outros trabalhos de conclusão de curso elaborados sob a ótica tecnológica, econômica, ambiental ou normativo-regulamentadora sobre o tema sprinkler.

 O prêmio para o melhor trabalho é de R$ 7 mil em dinheiro e uma viagem para conhecer o centro de pesquisas da FM Global, nos Estados Unidos. O segundo lugar recebe R$ 2 mil e o terceiro ganha R$ 1 mil.

 Mais informações no site http://www.sprinklerbrasil.org.br/premioisb2013/index.php

 O Instituto Sprinkler Brasil é uma organização sem fins lucrativos dedicada a fomentar a prevenção contra incêndios, bem como a divulgação de informações sobre o combate a incêndios por meio da utilização de chuveiros automáticos, os sprinklers.

 Durante o ano de 2012, o ISB monitorou na imprensa online 775 incêndios ocorridos em instalações comerciais, industriais, de saúde e prédios públicos no Brasil. Estima-se, contudo, que esse número seja menos que 5% da quantidade real de ocorrências. O ISB acredita que muitos destes sinistros poderiam ser evitados caso houvesse um sistema eficaz de segurança contra incêndio.

 Um desses métodos é o uso do sistema sprinklers. Evitando incêndios de grandes proporções e salvando vítimas por mais de 100 anos nos Estados Unidos e Europa, a utilização de sprinklers é um método razoavelmente novo no Brasil. Por isso ainda não existe biografia suficiente em língua portuguesa capaz de promover o aprimoramento do seu uso em construções no País.

premio

Construção pode ter IPI reduzido até 2014.

O governo avalia a possibilidade de estender até o fim de 2014 a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para materiais de construção, segmento responsável por 10% do Produto Interno Bruto (PIB) e pela criação de 11 milhões de empregos diretos e indiretos em todo o país. A decisão sairá ainda este mês. Anunciada para estimular o consumo, a medida já foi prorrogada em 2012, valendo até dezembro deste ano.

A alta do dólar – que registra variação de 15,41% em 2013 – tem pressionado os preços dos itens procurados por quem vai construir ou reformar a casa, sobretudo aqueles dos ramos de pintura, pisos e revestimentos. A inflação média no segmento de materiais de construção foi de 5,3% no acumulado de 12 meses até julho, um ponto percentual a mais do que o observado em igual período de 2012. O acréscimo se explica pela desvalorização do real ante a moeda norte-americana.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Walter Cover, se reuniu na semana passada com o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, para tratar da prorrogação do corte do IPI e deixou o encontro otimista. Segundo ele, “é bem provável” que o benefício tenha continuidade. O varejo responde por 50% das vendas do segmento. A outra metade se divide em infraestrutura (20%) e mercado imobiliário (30%).

Embora esteja igualmente sujeita às atuais turbulências da economia nacional, a indústria de materiais de construção tem conseguido apresentar resultados positivos. A estimativa da Abramat é que o segmento cresça em torno de 4% este ano, o dobro do esperado pelos analistas para o Produto Interno Bruto (PIB) do país. Em 2012, o avanço de 1,5% superou o 0,9% de crescimento da atividade brasileira.

O varejo, mesmo diante do cenário de endividamento recorde das famílias, é que tem segurado o setor de materiais de construção, uma vez que o mercado imobiliário se acomodou e a demanda de infraestrutura – composta basicamente por obras públicas – despencou 10% no ano passado e, até julho, mostrava recuperação insuficiente, de apenas dois pontos percentuais. “Quando analisamos o segmento de maneira geral, ainda estamos crescendo”, comenta Walter Cover.

A maior parte das fábricas do segmento está concentrada nas regiões Sul e Sudeste. Muitas empresas têm se associado a grupos estrangeiros ou procurado se internacionalizar por conta própria, com a instalação de unidades fora do país. A Abramat, fundada em 2004, engloba 60 associados, responsáveis por 70% da riqueza produzida pela indústria de materiais de construção.

 

_______________________________________________

Comissão do CAU/SP analisa documentos da obra que desabou em São Paulo/SP.

Comissao-Repercussao-publica_interna

Reunida na tarde da quinta-feira, dia 29/08, a Comissão Especial para Análise de Acontecimentos de Repercussão Pública do CAU/SP iniciou o trabalho de análise da documentação apurada pela equipe de fiscais do Conselho em relação ao desabamento do edifício em obras na Zona Leste da capital – que deixou dez mortos e 26 feridos.

Na tarde do dia 28/08, o CAU/SP enviou notificação à arquiteta e urbanista Rosana Januário Ignácio, identificada como autora dos projetos apresentados e não aprovados na Prefeitura de São Paulo, a prestar esclarecimentos sobre sua atuação nesta obra. A profissional está registrada no Conselho e tem, a partir de agora, dez dias para prestar esclarecimentos. Após análise e apuração dos fatos e responsabilidades, a Comissão – formada por Arquitetos e Urbanistas Conselheiros do CAU/SP – fará os encaminhamentos necessários.

Desde que tomou conhecimento do desabamento do edifício, o CAU/SP vem acompanhando as investigações e apurando detalhes sobre a documentação da obra e sobre a atuação dos profissionais arquitetos e urbanistas envolvidos. A equipe de fiscalização do CAU/SP esteve no local para verificar as condições legais da obra, bem como na Subprefeitura de São Mateus para apuração da documentação oficial.

_________________________________

Fonte: CAU/SP